Currículo e cartas de apresentação

Como usar a carta de apresentação para conseguir seu próximo emprego

A carta de apresentação costuma ser um complemento importante ao currículo dos candidatos. Ela é requisitada especialmente em seleções de estágio e vagas de jovem aprendiz, em que os currículos dos candidatos não são muito extensos. Também costuma ser exigida em processos seletivos muito competitivos, pois ajuda os recrutadores a tomar uma decisão.

Por meio da carta de apresentação, o recrutador tem a possibilidade de conhecer melhor o candidato e pode avaliar melhor sua capacidade de articulação e suas pretensões profissionais. Além disso, o recrutador também pode saber mais detalhes sobre experiências anteriores do candidato.

Para o candidato, por outro lado, é uma oportunidade de destacar aspectos que complementam sua formação e sua experiência profissional. A carta de apresentação permite a você articular melhor suas qualidades, habilidades e experiências. O formato, em texto corrido, é diferente daquele que caracteriza um currículo padrão, estruturado em tópicos e seções. Isso estimula o candidato a escrever de forma mais fluída, como se contasse uma história.

Muitos candidatos não sabem como escrever adequadamente nesse formato. Assim, deixam de aproveitar uma oportunidade valiosa de se destacar em um processo seletivo e conseguir o emprego desejado.

Neste artigo, daremos algumas dicas importantes para você elaborar uma boa carta de apresentação.

7 dicas para uma carta de apresentação eficiente

Uma carta de apresentação deve destacar habilidades e experiências relevantes para a vaga desejada. Seu objetivo é convencer o empregador de que você tem as competências adequadas à função que pretende desempenhar. É importante que a carta esteja em sintonia com o seu currículo, um servindo como complemento para o outro. Assim, a candidatura fica mais consistente e o recrutador é levado a consultar ambos mais de uma vez.

Destacamos sete cuidados que, caso sejam seguidos, podem aumentar suas chances de sua carta ser bem avaliada.

1. Aponte a função exata para a qual você está se candidatando

Destaque já no início da carta o cargo ao qual você está concorrendo. Isso é importante para evidenciar que a carta foi escrita para um processo seletivo específico. O contratante entenderá que você não está enviando algo genérico, usado em diversas seleções, como muitos candidatos fazem. Deixar claro que você dedicou seu tempo a um objetivo distinto demonstra interesse e consideração de sua parte.

2. Inclua informações relevantes para o empregador

Ao solicitar uma carta de apresentação em um processo seletivo, o recrutador espera ter um elemento a mais para comparar as candidaturas. Ela é pedida, normalmente, em processos muito competitivos, em que há muitos candidatos com currículos parecidos. Os currículos podem se assemelhar pela falta de experiência dos candidatos, como em seleções de estágio ou para jovem aprendiz. Em outros casos, isso ocorre pelas próprias exigências da vaga, que podem atrair candidatos com experiência profissional semelhante.

Por isso, evite fazer de sua carta de apresentação uma versão corrida do seu currículo. Se você tiver pouca ou nenhuma experiência profissional, aproveite para valorizar sua formação, cursos relevantes para o cargo pretendido ou que tenham relação com o setor da empresa. Caso tenha experiência em outras empresas, dê exemplos de projetos relevantes em que trabalhou, conquistas e outras informações não citadas no currículo.

3. Descreva habilidades interessantes para a função

Quando um recrutador pede uma carta de apresentação aos candidatos, isso significa que ele está interessado em avaliar habilidades úteis para a função em aberto. Mesmo que você não tenha experiência em funções semelhantes ou no mesmo setor da empresa onde quer trabalhar, pode ter habilidades relevantes para a vaga. Muitas delas são bem-vindas em mais de uma função ou área.

Alguns exemplos de habilidades importantes são a facilidade em se relacionar com outras pessoas, possuir um perfil de liderança e ter a capacidade de trabalhar sob pressão. Em sua carta, você pode demonstrar como desenvolveu essas habilidades em experiências anteriores, e isso não apenas em um contexto profissional. Não há problema em destacar atividades como trabalho voluntário ou pesquisa acadêmica. Lembre-se de destacar esse aprendizado em sua carta, sempre com bons argumentos.

4. Priorize aquilo que atende aos requisitos da vaga

A carta de apresentação, assim como o currículo do candidato, deve sempre privilegiar o que interessa ao empregador. Por isso, pense em sua carta como uma espécie de resposta à descrição da vaga para a qual está concorrendo.

Além disso, adote uma linguagem próxima à utilizada na descrição da vaga, com atenção aos termos escolhidos pelo contratante. Recrutadores costumam pesquisar palavras-chave específicas nas cartas e currículos dos candidatos, como "gerente de projetos", "mestrado", nomes de linguagens de programação e conhecimentos em geral.

Mesmo que você não atenda a todos os requisitos da vaga, há formas de compensar essa falta. Você pode, por exemplo, não conhecer uma linguagem de programação citada na descrição da vaga, mas mencionar que domina uma linguagem semelhante. Não se esqueça de evitar exageros.

5. Demonstre conhecimento sobre a empresa e o cargo pretendido

Se você acredita que seu perfil combina com o da empresa, encontre formas de expor isso em sua carta. Faça isso mesmo que já tenha trabalhado em cargos semelhantes, inclusive no mesmo setor. Cada empresa tem sua própria cultura e formas específicas de trabalhar.

Ao demonstrar que você conhece bem a empresa e o cargo ao qual está se candidatando, você também reforçará seu interesse pela vaga. Por isso, reserve um tempo para pesquisar informações relevantes e atuais.

6. Evite informações desnecessárias

Seja objetivo e criterioso. O recrutador normalmente lida com muitas candidaturas em cada seleção. Informações desnecessárias ou descrições repetitivas podem tornar sua escrita cansativa e fazer o recrutador perder o interesse pela sua carta. Além disso, tais descrições tiram o foco de informações mais importantes.

Procure selecionar os exemplos que pretende utilizar. Evite descrever todas as suas experiências profissionais e os cursos que você fez, principalmente o que não estiver relacionado à vaga. Se você exerceu a mesma função em mais de um lugar, destaque apenas o que fez de mais relevante em cada empresa ou descreva apenas a experiência mais recente.

Além disso, evite tratar de assuntos não relacionados à vaga, como opiniões políticas e questões íntimas. Gostos pessoais e hobbies devem ser mencionados de forma criteriosa e sempre relacionados ao seu perfil profissional.

7. Tenha atenção especial com a língua portuguesa

O uso correto da língua é essencial para causar uma boa impressão. Da mesma forma, erros de ortografia, concordância e pontuação, entre outros problemas, podem comprometer uma candidatura. Na dúvida, sempre pesquise a forma correta. Se tiver amigos ou familiares que possam ajudar nisso, dê sua carta para eles lerem.

Lembre-se também que uma carta sem erros gramaticais não é necessariamente uma carta bem-escrita. Frases e expressões imprecisas podem confundir o leitor e ofuscar informações relevantes. Revise seu texto várias vezes para evitar frustrações.

Candidate-se facilmente com um Currículo Indeed

Exemplo de carta de apresentação

Cartas de apresentação para seleções de emprego exigem alguns cuidados gerais, como os sete que comentamos neste artigo. No entanto, outras características podem variar conforme o tipo de cargo, empresa e profissão. Por exemplo, um recrutamento para a área de vendas pode exigir que sua carta inclua indicadores de desempenho alcançados em outras empresas. Se estiver se candidatando a um cargo de pesquisa em uma empresa, o foco passa a ser a produção acadêmica.

Por isso, este modelo é apenas um exemplo geral. Para adaptar a sua carta de apresentação às exigências de sua carreira, procure exemplos específicos.

Prezado/a Marcio Souza/Joana Lago,

Envio meu currículo tendo em vista a posição de gerente de compras na empresa XYZ. Acredito que posso ser uma escolha adequada para essa posição. Minha formação, experiência profissional e habilidades pessoais atendem aos requisitos anunciados para a vaga. Penso, também, que o meu perfil e meus valores pessoais estão de acordo com a cultura da empresa.

Sou graduado em Administração de Empresas, com ênfase em Gestão, pela Universidade do Vale. Tenho pós-graduação em Economia Financeira pela mesma instituição e mestrado em Gestão de Empresas pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos.

Tenho mais de 10 anos de experiência em compras corporativas. Iniciei minha carreira como analista de compras na empresa ABC, em 2008, e exerci a mesma função no Grupo CDE, entre 2010 e 2015. Após um hiato de dois anos, em que cursei meu mestrado no exterior e trabalhei como consultor para algumas empresas, voltei ao Brasil. Em 2017, fui contratado pela empresa FGH como gerente de compras.

Em meu período como gerente de compras da FGH, comandei a implementação de novos processos para controle interno, que foram responsáveis por uma melhoria significativa na transparência da empresa. Também adotei novos critérios para a seleção de fornecedores, o que gerou uma economia de 25% no custo de produção em nossas plantas. Acredito que posso contribuir para resultados positivos também na XYZ.

Por atuar no mercado há tanto tempo, conheço os valores com que a XYZ trabalha. Por isso, acredito que tenho o perfil desejado para a posição. Minha experiência como gestor e meus conhecimentos em auditoria interna e análise de risco podem ser de grande valia para a XYZ.

Fico à disposição.

Atenciosamente,

João Pereira