Entrevistando

Pontos Fracos: uma das perguntas mais temidas da entrevista

Se você já passou por uma entrevista, é muito provável que já tenha sido surpreendido pelo recrutador quando perguntado sobre seus pontos fracos e fortes como profissional. E mesmo já tendo sido perguntado sobre isso em diversas entrevistas, também é provável que você ainda tenha dificuldade para responder a essa pergunta em cada uma delas.

Tal receio é compreensível. Afinal, falar sobre os pontos fortes é geralmente mais fácil para a maioria dos profissionais, pois normalmente temos uma visão positiva sobre nós. Além disso, é durante a entrevista que tentamos vender nossa melhor imagem. É por isso que discorrer sobre os pontos fracos certamente é mais difícil.

Mas não se preocupe, pois aqui falaremos bastante sobre esse assunto. Nossa intenção ao fazer isso é te ajudar a estar mais preparado para dar elaborar sua resposta de maneira satisfatória durante um processo de seleção. Abaixo você encontrará algumas dicas sobre esse tema que poderão ser úteis para conseguir lidar com ele.

Como não responder sobre seus pontos fracos

Falar de si mesmo não costuma ser uma tarefa fácil. Falar sobre características e comportamentos em que você deixa a desejar, então, é algo muito mais difícil.

Os recrutadores fazem esse tipo de pergunta para verificar como você reage a ela. O principal objetivo deles é avaliar seu nível e capacidade de autoconhecimento. Afinal, ao falar sobre suas fraquezas, você pode demonstrar um alto grau de maturidade, o que é muito bem visto durante um processo seletivo.

Um dos maiores erros que você pode cometer em uma entrevista ao se deparar com essa pergunta é tentar camuflar uma característica positiva em sua resposta. Recrutadores são profissionais preparados e treinados para analisar e entender o comportamento do entrevistado. Por isso, eles não terão dificuldade para identificar uma tentativa de “burlar” a pergunta. Eles poderão até aceitar sua resposta sem maiores questionamentos, mas certamente ficará registrada uma anotação negativa nesse ponto da entrevista.

Uma resposta clássica para esse tipo de pergunta é dizer que seu ponto fraco é ser perfeccionista. Aliás, é altamente recomendado que esse tipo de resposta seja evitado.

Candidate-se facilmente com um Currículo Indeed

Avalie quais são seus pontos fracos

Um dos segredos para responder bem a essa pergunta é começar a se preparar para ela antes mesmo da entrevista. Não estamos dizendo para você criar e decorar uma resposta, o que certamente também terá um efeito negativo. Lembre-se que o recrutador é um profissional capacitado e perceberá se você está sendo espontâneo ou não. Ele pode interromper sua resposta fazendo perguntas para as quais você não estava preparado. Com isso, caso você tenha uma resposta decorada, a necessidade de pausar e adaptar seu discurso deixará muito evidente que você estava reproduzindo apenas um texto nada natural.

Antes mesmo da entrevista, liste características que você considera que necessitam de aprimoramento. Caso tenha dificuldades para isso, vale conversar com pessoas lhe conhecem bem, como familiares, amigos próximos e colegas de trabalho. Eles certamente citarão muitos pontos que poderão te ajudar a melhorar sua autocompreensão. Pode ser até que você se surpreenda com as respostas que receberá.

Como escolher seus pontos fracos

O recrutador não está interessado em saber sobre seus piores defeitos ou características que não interferem no lado profissional. Como mencionamos anteriormente, o objetivo dessa pergunta é avaliar sua capacidade de autocrítica.

Comece focando em dificuldades que você já teve ou ainda tem, explique como elas te atrapalham enquanto profissional. Pense em experiências que não tenham sido tão boas e como elas poderiam ter sido melhores caso você tivesse outro tipo de habilidade ou comportamento.

Aqui vai uma dica que talvez seja a mais importante: após mencionar seu ponto fraco, ter explicado e dado exemplos, complemente dizendo o que você tem feito para melhorar esses pontos fracos. Isso contará muito a seu favor na avaliação.

Também é relevante que a característica escolhida tenha a ver com a vaga em questão. Há casos em que você não é tão bom em determinado aspecto simplesmente pelo fato de não ter tido oportunidade para desenvolvê-lo. Fique tranquilo quanto a isso: nenhum profissional é excelente em todos os pontos. Tentar vender a imagem de profissional perfeito na entrevista não vai te ajudar em nada.

Três bons exemplos de pontos fracos

Caso você tenha chegado até este ponto do texto e ainda não tenha ideia do que responder quando perguntado sobre seus pontos fracos, fique tranquilo. Saiba que esse tipo de dúvida é muito comum.

Abaixo, listamos três bons exemplos de respostas que fogem das características mais clichês, como timidez e ansiedade. Esperamos que esses exemplos possam te ajudar em sua autoanálise.

“Tenho dificuldade em me desapegar de projetos e tarefas”

Esse é um ponto fraco que pode pegar o recrutador de surpresa, pois apesar de ser algo muito comum entre os profissionais, não é uma resposta muito utilizada. As empresas são cada vez mais dinâmicas, e, diferentemente de seus avôs, você dificilmente irá passar a maior parte de sua carreira fazendo as mesmas coisas. As organizações querem profissionais dinâmicos e adaptáveis para corresponderem às mais variadas funções e atribuições.

A dificuldade em aceitar mudanças no trabalho é certamente um ponto fraco. Porém, ao reconhecer isso e demonstrar que deseja melhorar esse aspecto, você somará pontos importantes.

“Tenho problemas para dizer ‘não'”

No ambiente corporativo, é muito comum receber pedidos de ajuda dos colegas. É claro que ajudá-los é a coisa certa a se fazer, mas apenas se isso não atrapalhar seus prazos e atribuições. Mesmo que ajudar um colega não te atrapalhe diretamente, assumir muitas atribuições não essenciais pode tirar seu foco e interferir em sua produtividade nas questões pelas quais você é responsável.

Atenção para posições em que tomadas de decisões e negociações com clientes são necessárias, pois as empresas buscam profissionais com pulso firme. Se você possui esse tipo de problema, não é recomendável mencionar esta característica na entrevista ao participar de processos seletivos para vagas com esse tipo de atribuição. Em vez disso, escolha outro ponto fraco e foque no aprimoramento para ser um profissional com pulso firme, que não tenha problemas para dizer “não” quando necessário.

“Tenho problemas para pedir ajuda”

De certa forma, esse ponto fraco é oposto ao citado anteriormente. O problema de não saber pedir ajuda aos seus colegas ou superiores é uma característica que requer muita atenção. Este ponto fraco pode estar diretamente ligado à timidez, mas ela vai além e demonstra um grau de autoconhecimento maior ao demonstrar onde e o que isso afeta dentro de um ambiente profissional.

Ter problemas para resolver algum tipo de problema gera perda de tempo, desgaste emocional e pode ocasionar erros, algo que nenhuma empresa espera. As corporações são multidisciplinares, com profissionais com as mais diversas habilidades e características, portanto não hesite em pedir ajuda sempre que for preciso. Isso poderá ser crucial para que a empresa obtenha bons resultados.

Exemplos de como responder sobre seu ponto fraco

Você pode responder a essa pergunta citando alguma habilidade ou comportamento que estejam diretamente relacionados ao cargo que você deseja. Daremos exemplos para ambos os casos, recomendando boas formas de resposta.

Exemplo de ponto fraco em competência técnica

“Minha fluência no inglês está abaixo do que considero adequada para lidar com os representantes das filiais internacionais da empresa. Entendo que essa habilidade é bastante importante para exercer este cargo de acordo com as descrições da vaga.

No início de minha experiência atual, a necessidade de conhecimento do idioma era baixa, pois em meu cargo havia pouquíssimo relacionamento com outros profissionais e clientes estrangeiros. Porém, tendo em vista o desenvolvimento profissional, há poucos meses iniciei um curso de inglês, e tenho consumido muito material relacionado à minha área de atuação. Creio que dentro de alguns meses estarei em um nível de fluência muito bom. Mas até lá não pouparei esforços para aprimorar ainda mais rápido, utilizando todas as ferramentas possíveis.”

Exemplo de ponto fraco em competência comportamental

“Considero a teimosia como meu maior ponto fraco. Possuo um histórico de grande êxito escolar e acadêmico, o que ajudou a reforçar ainda mais esse aspecto da minha personalidade. Em minha carreira, demorei um pouco a entender que o ambiente de trabalho é diferente dos anteriores. Afinal, os resultados não dependem de apenas uma pessoa. Isso chegou a me causar problemas de relacionamento no trabalho, pois era muito difícil para mim acatar as opiniões dos meus colegas e superiores em detrimento das minhas.

Com o amadurecimento profissional, comecei a perceber que o ponto de vista dos demais colegas é tão importante quanto o meu e que podem contribuir para o ambiente profissional tanto quanto as minhas ideias. É claro que não é fácil suprimir totalmente esse aspecto de meu comportamento. Porém, antes de refutar qualquer ideia ou sugestão na empresa ou insistir persistentemente com minhas ideias, sempre busco avaliá-las.”

Exemplo de como não responder sobre seu ponto fraco

“Meu maior ponto fraco é o perfeccionismo, pois eu sou muito detalhista e tudo o que eu faço tem que sair sempre perfeito. Eu me cobro além do aceitável para que todas minhas tarefas superem as expectativas, e isso às vezes é cansativo. Meus colegas e os chefes da minha empresa anterior sempre me davam esse feedback, o que me deixa bastante aliviado em relação a essa minha característica pessoal.”